sexta-feira, 4 de maio de 2012

5a OFICINA + INTERVENÇÃO São Paulo Através do Espelho

Dessa vez na Paulista!





















“para quem olha para a cidade e tem vontade de fazer teatro”

Oficina: 15 a 17 de maio, terça a quinta, das 14h às 17h

Local: Parque Trianon

Público alvo: maiores de 18 anos, interessados em artes.

Inscrições por e-mail: teatrododecafonico@gmail.com
(enviar nome completo, data de nascimento e justificativa de interesse)

nº de vagas: 20 (vinte)

Intervenção urbana: 18 de maio, sexta, às 16h
Local: Vão do Masp/Avenida Paulista

TODAS AS ATIVIDADES SÃO GRATUITAS




Mais informações sobre o Dodecafônico e seu projeto:

O projeto “Decupagem Dodecafônica”, recentemente contemplado pela 19ª Edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro, propõe em uma das suas etapas – “São Paulo Através do Espelho” – cinco oficinas e cinco intervenções urbanas em diferentes espaços públicos da cidade.

As oficinas, oferecidas a maiores de 18 anos interessados em artes, visam compartilhar alguns procedimentos desenvolvidos pelo Coletivo Teatro Dodecafônico na pesquisa e criação da cena, em especial aqueles que se referem à relação com o espaço e às coralidades contemporâneas. Os participantes serão convidados a integrar as intervenções na cidade de São Paulo, pesquisando possíveis relações com o espaço urbano a partir de cenas de "O que ali se viu". Esta é a mais recente encenação do Coletivo, uma resposta-reação às obras de Lewis Carroll, "Alice através do espelho" e "Alice no país das maravilhas". Peça itinerante na qual o público assume o lugar da personagem, percorrendo cenas e intervenções instaladas no espaço, esteve em temporada de 40 apresentações no SESI Vila Leopoldina no final de 2010.

Todas as atividades serão gratuitas, em vista da verba pública destinada ao projeto do Coletivo Teatro Dodecafônico, da Cooperativa Paulista de Teatro.

Alguns princípios norteadores da pesquisa do Coletivo Teatro Dodecafônico:

·  Instalação da cena em arquiteturas pré-existentes – o espaço tem papel de destaque nas composições, sendo um dos primeiros elementos a serem definidos.

·  A posição do público em relação à cena é pensada a partir de procedimentos da câmera cinematográfica – enquadramento e ponto de vista estão diretamente relacionados.

·  Não há primazia de nenhum elemento constituinte da cena – o texto tem a mesma importância que o corpo, o espaço, o tempo, a iluminação, a sonorização, sem qualquer relação hierárquica.

·  Os atores-criadores apresentam-se como figuras, criadas por meio da composição corporal (físico-vocal) – a construção nunca passa pelo viés psicológico.

·  Toda encenação do Dodecafônico é uma reação a uma obra de referência (literária, visual, cinematográfica) e não uma adaptação para o contexto teatral. O termo reação começou a ser utilizado pelo Coletivo em decorrência da prática, ou seja, como resposta à experiência vivida. Portanto, reagir é: transpor (no caso da literatura, sem transformar discurso indireto em direto); transformar (a obra original como propulsora de novas formas textuais e imagéticas); e montar como na linguagem cinematográfica (sobrepor elementos, criar em camadas). Reagir, pois, para não esgotar.

Um comentário:

  1. Tirei algumas fotos, pra que e-mail mando?

    E parabéns! Foi Lindo!

    ResponderExcluir